versace

PARIS FASHION WEEK | VERSACE

Voltei amores! Hoje vou falar sobre a coleção outono/inverno da Versace, lançada no Paris Fashion Week.

A Versace reinventou ‘La Greca’, uma das logos mais icônicas da maison. A diretora criativa, Donatella Versace apostou nas formas geométricas, em uma apresentação que valoriza a beleza e personalidade das top models, que foram as estrelas do desfile. Reunindo: Bella e Gigi Hadid, Vittoria Ceretti, Irina Shayk, Mica Arganaz, Precious Lee e Mona Tougaard. A marca nesta nova versão, trouxe glamour em cores de dourado, azul, vermelho, bastante preto e tons terrosos. Ela veio como forma de estampas, compondo looks com casacos, peças de couro, lenços, mini vestidos e minissaias, brincos, joias e fivelas. Os casados são um show à parte e o que mais me chamou atenção, são peças grandes que destacam-se nos looks, sendo o principal diferencial. Afinal, no inverno é o que não pode faltar. A Versace é conhecida por ser um ícone de moda na cultura underground, no mercado da alta costura. E podemos ver esse lado, expressado inteiramente na coleção.

Outra coisa que eu amei foram os terninhos conjuntos, que são tendência. Os da Versace são lindos, com uma sincronia perfeita no corpo e detalhes sensuais das peças. Também chamou atenção o uso de transparência e tecidos metálicos em uma paleta de cores bem vibrantes. Uma verdadeira explosão de formas, cores e modelagens.

A coleção é levemente rebelde, mas confiante e dá ênfase ao motivo Greca da marca, que sempre brilhou muito mais em acessórios, mas conseguiu entregar muito mais. Looks memoráveis e lindíssimos para a coleção outono/inverno.

Versace é sempre um arraso. Qual look você gostou mais?

Compartilhe

TBT | MILÃO FASHION WEEK

Oiie meus amores!

Como vocês estão? Estão se cuidando direitinho?
Chegou mais um dia de tbt, e é o último sobre o Milão Fashion Week que foi a perfeição esse ano.
Hoje vamos falar de duas coleções opostas que foram apresentadas pelas grifes Emporio Armani e Versace. os dois trouxeram peças masculinas e femininas, que seguiram caminhos distintos.

EMPORIO ARMANI

Em um cenário urbano, a grife apresenta uma coleção bem direta, cheia de elegância e minimalista. As peças tanto masculina quanto feminina pertencem a uma paleta de cores neutras de tons frios como o preto, cinza e branco.

O maior destaque da coleção foram os cortes diferenciados para as jaquetas masculinas, que vieram sem as tradicionais lapelas, e as peças que tem expressão mais causal como bombers e blusões aparecem mais formais aumentando a elegância das peças Armani.

Na coleção feminina, os macacões longos em tecidos soltos com transparência e decotes equilibrados é quem guia a festa, sempre apresentando uma formalidade urbana incrível numa paleta de cores mais morna com o bege sendo a que mais aparece.

VERSACE

Já começo usando da frase da Donatella para definir a cidade de Versacepolis segundo ela é “um mundo feito de cores vibrantes e criaturas fantásticas no qual todos podemos coexistir pacificamente.” e que foi o cenário que inspirou esse show.

Logo aviso que diante dessa afirmação de head da casa italiana, é impossível determinar uma paleta de cores, então digo que se a cor existe, ela está nessa coleção.

Com peças incríveis em cores vibrantes, as vezes lisas outras com estampas marítimas de conchas e estrelas do mar que originalmente foram desenhadas pelo próprio Gianni Versace lá por volta de 1990 nomeada de “Trésor de la Mer”.

A novidade da marca na verdade foi na representatividade dos padrões da marca, pela primeira vez na historia da grife entre as modelos – molhadas de água do mar – que fizeram esse show estão mulheres que não seguem o padrão de magreza exigido pela indústria da moda. Elegantes, bonitas e talentosas elas arrasaram e colaboraram para a adaptação perfeita da Medusa de Versace no fundo do mar.

Nem parece, mas já faz um mês que acabaram as semanas de moda, e já morro de saudades!

Beiiijooos

Compartilhe

A MODA NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Oi amore, hoje trouxe um conteúdo mais informativo para você.
A gente que fala e vive tanto a moda, precisamos também entender e saber qual o posicionamento das marcas diante a situação que estamos vivendo hoje, a pandemia.

Um tempo de crise, a solidariedade, empatia e união se faz necessário. O mundo inteiro foi afetado, o caos se espalhou em hospitais, comunidades, abrigos, ONGs e entre outros lugares. Mas a pergunta que fica é: O que as grandes empresas estão fazendo para ajudar o outro?

Nem só de moda e palavras vive o homem, o que precisamos é de atitude. Grandes marcas nos mostraram que além do produto, o ser humano como um todo nos importa e muito.

Fiz uma lista com algumas marcas da moda que se mobilizaram em prol da causa do COVID-19. Vou mostrar algumas e o que elas estão fazendo para apoiar os mais necessitados.

#GrupoLVMH  (Louis Vuitton)

Doou US$2,2 milhões para a Sociedade da Cruz Vermelha na China.
Além disso, usaram sua fábrica de perfumes e cosméticos para produzirem álcool-gel. Além do álcool-gel, eles doaram mais de 40 milhões de máscaras para os hospitais franceses.

#Gucci 

Desenvolveu uma plataforma de doações onde todos podem participar doando. Doou cerca de 1 milhão de euros para a Itália e o mesmo valor para o Fundo de Resposta de Solidariedade da Fundação das Nações Unidas em apoio a OMS.

Conhece alguma marca de moda que fez alguma ação para o combate do COVID-19? Deixa aqui nos comentários.

E o recado para você é: use máscara, lave as mãos com água e sabão, sempre saia com álcool gel e mantenha a distância, claro tudo isso quando a saída for essencial. Caso contrário, FIQUE EM CASA!

Beiiiiijos

Compartilhe