olga noronha

OLGA NORONHA | CORPO- ESCULTURA

Oi amores!
Sábado (13-07) tive o prazer de prestigiar o lançamento da exposição, Corpo – Escultura da Olga Noronha com curadoria de Bernardo Pinto de Almeida.

O lançamento aconteceu no Museu Quinta de Santiago, um palácio lindo que vale a pena conhecer.
Olga nos recebeu com um coquetel no jardim do Palácio e um discurso lindo. Logo em seguida fizemos um tour pelo Museu.

A exposição foi uma riqueza de história e moda. Sou admiradora do trabalho incrível dessa mulher maravilhosa. Então sou suspeita pra falar, né? rs

Aconselho vocês irem visitar e apreciar cada detalhe. Ela ficará disponível para visitas até 15 de setembro.

Fiz algumas fotos para vocês ficarem encantados tanto quanto eu. Confiram:

O Museu Quinta de Santiago, está localizado na Rua de Vila Franca ,134.
Leça da Palmeira Portugal

Confiram um pouco mais sobre a história de Olga no site: www.olganoronha.com

Beiiiijos

Compartilhe

MODALISBOA: day 3

Nuno Gama, mais uma vez na minha lista favorita de desfiles do Moda Lisboa.

Mutante, sua coleção para o out/inv 19-20.

Numa viagem aos anos 30, Nuno reconstruiu o look formal de lãs rústicos para a grande nobreza em justaposições obrigatórias de 3 peças. O sobretudo, camisa de colarinhos redondos, ora com lacinho gravateiros ou abertas. A calça curta, mas mais direita. A boina traz de volta o “pintas” com tanto de naif como de estiloso.

Casacos mochila tem destaque nessa coleção, simbolizando o que carregamos no dia a dia. Criando um look mais casual em que a gola alta continua com tudo, acompanhado de um confortável sneaker (que volta com tudo nessa estação).  Confiram:

 

Gonçalo Peixoto, fundador da marca feminina com o seu próprio nome. Traz nessa estação uma coleção rica, com os desejos das mulheres, aquilos que elas querem e o que pensam, no mundo moderno e sobre a mulher moderna. Mostrando o sentido da vida através de seus looks. Silhuetas desconstruídas e apropriadas pelo streetstyle, assumem um desafio no que diz respeito a uma reinterpretação dos clássicos intemporais.

Podemos ver muito babados, manga bufante e tons de laranja, verde e roxo. Confiram:

Olga Noronha, vem com sua coleção FLOURISH. Mostrando o ser de uma mulher moderna, representado através da dança de das flores, como representação sexual que revelam o estado de alma e de identidade de cada uma.
Sua paleta de cores é o nude e cinza escuro. Nas passarelas os material pele e metal. Confiram:

Nycole é uma marca de menswear fundada pela designer Tânia Nicole. Baseada no Porto, a marca é inspirada pelo universo streetwear e por detalhes do sportswear e do vestuário clássico masculino.

 

Ricardo Andrez, trouxe um desfile lindo para o Moda Lisboa. Faz ao público pensar na forma como a moda está evoluindo. A coleção foi desenvolvida valorizando o comportamento sustentável, mostrando a indústria saturada da moda, onde não pensam em sustentabilidade em suas criações. Pensando em propagar essa conscientização, sua coleção foi produzida com tecidos de stocks em desuso.

Já no desfile de Dino Alves com sua coleção Reação, podemos ver silhueta justa e fluida, austera, overzised, destriod e volumosa. Sua paleta de cores foi do Preto, branco, lilás, amarelo, vermelho, laranja, azuis, roxo, verde, padrões florais, padrão graffiti, riscas e xadrez. Suas peças de sedas, mousselines, crepes, organza de seda, sablé e marrocain com misturas de fibras,  gangas, malhas, viscose, algodão orgânico, denim, brocados, lã e nylons, foram vistas na passarela do Moda Lisboa.
A reação é a expressão artística, a criatividade e o pensamento que transforma a nossa imagem e o nosso estilo numa espécie de panfleto ideológico. Confiram:
Compartilhe

LFW: Day 3 (parte 2)

Oiii amores!

Para finalizar o último dia do Lisboa Fashion Week, fiz um resumo os os últimos 3 desfiles que eu mais gostei. Confiram.

Desfile 4 – Gonçalo Peixoto

Uma coleção da era do liberalismo feminino, onde formas de relação intrafeminina apresentam na contemporaneidade, absorvendo não só uma realidade em contexto nacional, mas também internacional.

Com uma abordagem edgy e silhuetas desconstruídas apropriadas pela natureza do streetstyle, Goncalo Peixoto assume um grande desafio no que diz respeito aos clássicos intemporais, revisitando-os e reinterpretando-os.

Desfile 5 – Kolovrat

O nome da Coleção Primavera/Verão, Passaporte, é para Kolovrat uma porta simbólica de contágio entre o que é sonhado e o que é real. Inspirado nos significados da palavra, foi criado uma coleção de cores vivas, embebida na expressão democrática, onde cada tecido, cada padrão, cada corte nos transporta a uma existência de libertação.

Confiram e se apaixonem:

Desfile 6 – Dino Alves 

TUDO O QUE SOMOS!

Inspirada na beleza interior, onde a beleza é a consequência do nosso carácter, da maneira de estarmos na vida, dos valores que defendemos, da luz e do carisma que emanamos pela soma de tudo isto. Dino ressalta que a moda é o que temos dentro de nós.  “Não é apenas a roupa, as marcas e a forma como nos vestimos que fazem de nós pessoas modernas e com estilo, mas muitas outras coisas que construímos interiormente e que não se veem.”

“As peças sobrepostas que mostram as peças que estão por baixo. Avesso para fora. Peças como suporte de uma série de registos de vários tipos que somados parecem construir o nosso interior. Peças feitas a partir da união de vários elementos, como se fosse uma colagem de registos. Manchas de cores, lembrando telas pintadas. Peças perfuradas a deixar ver o “nosso interior”. Transparências, misturas de estampados e texturas. Peças que parecem embrulhar o que temos dentro de nós.” – Dino Alves.

A paleta de cores foi o vermelho, lilás , amarelo, branco, preto, beges, azuis, verdes, castanhos e dourado.

Os materiais utilizados nessa coleção foi o algodão, organza, ganga, linho, seda, malhas, tule e telas.

Sou suspeita pra falar, por que eu ainda to em êxtase com essa coleção M A R A V I L H O S A do Dino. Se apaixonem:

Beiiiijos ♥

Compartilhe