moda lisboa

LOOK | MODALISBOA DAY 1

Olá amore, vamos para mais uma edição do Moda Lisboa?

Irei prestigiar os desfiles dos dias 06 a 08/03. E vou mostrar tudo pra vocês (tanto aqui, quanto no meu instagram).

Para a noite do dia 06/03 apostei em dois looks lindos e beeeem diferente um do outro.

O primeiro look foi uma proposta bem ousada, do jeito que Duarte Brand ama em suas produções (haha). Usei um cropped de tricô feito a mão da nova coleção de Duarte, com detalhes que fizeram a diferença. Para compor o look usei uma saia midi com babado e uma bota deusa, toda brilhosa do jeito que amo.

Se não for pra ousar, a gente não sai de casa.

Confira:

Cropped em tricô: Duarte Brand | Saia: Paris | Bolsa: Moschino | Botas:Zara

Já o segundo look da noite, foi numa proposta mais casual chique.

Apostei num macaquito dourado metalizado da Chiara Ferragni, a mesma bota do primeiro look, toda em brilho combinando com a proposta do macaquito e uma bolsa – m a r a v i l h o s a – cheia de detalhes e uma estampa que você babar.

Veja só:

Bolsa: Etro | Macaquito: Chiara Ferragni | Botas: Lodi

Preparados para mais uma semana de moda? Vem comigo!

Beiiiijos

Compartilhe

MODALISBOA: day 3

Nuno Gama, mais uma vez na minha lista favorita de desfiles do Moda Lisboa.

Mutante, sua coleção para o out/inv 19-20.

Numa viagem aos anos 30, Nuno reconstruiu o look formal de lãs rústicos para a grande nobreza em justaposições obrigatórias de 3 peças. O sobretudo, camisa de colarinhos redondos, ora com lacinho gravateiros ou abertas. A calça curta, mas mais direita. A boina traz de volta o “pintas” com tanto de naif como de estiloso.

Casacos mochila tem destaque nessa coleção, simbolizando o que carregamos no dia a dia. Criando um look mais casual em que a gola alta continua com tudo, acompanhado de um confortável sneaker (que volta com tudo nessa estação).  Confiram:

 

Gonçalo Peixoto, fundador da marca feminina com o seu próprio nome. Traz nessa estação uma coleção rica, com os desejos das mulheres, aquilos que elas querem e o que pensam, no mundo moderno e sobre a mulher moderna. Mostrando o sentido da vida através de seus looks. Silhuetas desconstruídas e apropriadas pelo streetstyle, assumem um desafio no que diz respeito a uma reinterpretação dos clássicos intemporais.

Podemos ver muito babados, manga bufante e tons de laranja, verde e roxo. Confiram:

Olga Noronha, vem com sua coleção FLOURISH. Mostrando o ser de uma mulher moderna, representado através da dança de das flores, como representação sexual que revelam o estado de alma e de identidade de cada uma.
Sua paleta de cores é o nude e cinza escuro. Nas passarelas os material pele e metal. Confiram:

Nycole é uma marca de menswear fundada pela designer Tânia Nicole. Baseada no Porto, a marca é inspirada pelo universo streetwear e por detalhes do sportswear e do vestuário clássico masculino.

 

Ricardo Andrez, trouxe um desfile lindo para o Moda Lisboa. Faz ao público pensar na forma como a moda está evoluindo. A coleção foi desenvolvida valorizando o comportamento sustentável, mostrando a indústria saturada da moda, onde não pensam em sustentabilidade em suas criações. Pensando em propagar essa conscientização, sua coleção foi produzida com tecidos de stocks em desuso.

Já no desfile de Dino Alves com sua coleção Reação, podemos ver silhueta justa e fluida, austera, overzised, destriod e volumosa. Sua paleta de cores foi do Preto, branco, lilás, amarelo, vermelho, laranja, azuis, roxo, verde, padrões florais, padrão graffiti, riscas e xadrez. Suas peças de sedas, mousselines, crepes, organza de seda, sablé e marrocain com misturas de fibras,  gangas, malhas, viscose, algodão orgânico, denim, brocados, lã e nylons, foram vistas na passarela do Moda Lisboa.
A reação é a expressão artística, a criatividade e o pensamento que transforma a nossa imagem e o nosso estilo numa espécie de panfleto ideológico. Confiram:
Compartilhe

MODALISBOA: Day 2

O primeiro desfile a comentar, vai ser o de David Ferreira.

A sua visão representa uma clara simbiose entre o tradicional e o moderno. David Ferreira explora o conceito de Couture, criando novas silhuetas femininas. As suas criações destinam-se a uma mulher sem convencionalismos, com um estilo pessoal forte e apaixonante e um gosto especial por peças que representam uma extensão da sua própria personalidade.

A sua coleção para o Outono/Inverno 19/20 é Bétnica, com personalidade e atitude única e moderna. Jogo de cores e volumes entre fitted e oversized. Sua cartela de cores foi tons de verde, dourado, preto, branco e rosas. Tecidos como organza, chiffon de seda, lãs, cetim de metal, pvc e pelo fake foram vistos na passarela. Confiram:

Carlos Gil, um designer super renomado, apresenta sua coleção FLick’Mo.

Sua paixão pela pintura e pela liberdade artística, o inspirou para criação de formas, traços livres e espontâneo, onde expressa seus sentimentos.

Inspirada na pintura do início do século XX, num misto de Neoplasticismo, Cubismo e Abstracionismo, a coleção revela uma paleta cromática diversificada de cores fortes, predominantes no Neoplasticismo de Piet Mondrian, mas com um toque de cobres vibrantes de Wassily Kandinsky.

A mulher triunfou nessa coleção. Mostrando suas conquistas e sua independência, numa mulher determinada e cosmopolita, onde encontra nas peças que veste a versatilidade do uso e nos detalhes. A coleção revela muito do mundo interior e do imaginário ligado ao seu próprio Eu.

Uma explosão de cor, de padrões de formas orgânicas, uma conjugação de texturas e silhuetas construídas pela fusão de formas geométricas, resultam num look contemporâneo, elegante e descontraído, com detalhes que criam um visual Sportswear Chic, tão característico da mulher Carlos Gil.

AWAYTOMARS, uma coleção sustentável, desde processo de criação até o produto final nas passarelas. A missão da AWAYTOMARS é pensar a criação como mecanismo contributivo e não de desgaste.

A coleção FW 19/20 discute a produção acelerada da indústria da moda e foi co-criada a partir de peças de roupa enviadas pelos membros do coletivo AWAYTOMARS, consumidores e marcas parceiras. A coleção é uma análise critica sobre consumo e produção excessiva e tem como principal objetivo a não-produção e a reavaliação, re-design e reciclagem de peças de roupa descartadas por antigos utilizadores.

Um bapho né gente? Confiram:

Luís Carvalho, reconhecido por vestir inúmeras figuras públicas nacionais e internacionais, fez um desfile inspirador.

SURFACE, o nome de sua coleção. Tem como principal referência trabalhos do artista digital, Matthieu Bouel.

O seu trabalho inclui ilustração, design gráfico e instalações de arte. Estas referências resultam em peças que são trabalhas com folhos e com diferentes jogos de formas sobrepostas com linhas mais orgânicas.

Podemos ver na passaela, silhuetas overzised com linhas mais retas. As misturas de cores e imagens do trabalho de Matthieu Boureal, levam aos padrões de xadrez e pied-de-poule em várias tonalidades.

Sua paleta de cores foi o laranja, bege, azul noite, roxo e rosa, cores predominantes estão nessa coleção. Confiram:

Beiiiijos

Compartilhe